terça-feira, 21 de abril de 2009

Passeios de Júpiter Pelo Mapa

Enquanto caminha pelo zodíaco, o Senhor do Olimpo vai fazendo conjunção, quadratura e oposição com os pontos e astros do nosso mapa, otimizando nosso crescimento através de sua energia e fertilizando os campos de nossas vidas. Os trígonos e sextis de Júpiter trazem bastante ajuda na ampliação desses pontos, e recebemos muitas intuições e revelações para maior entendimento do que nos acontece naquele lugar. Mas são os aspectos desafiadores que vão mostrar que, quando não estamos bem conosco mesmos, as novas possibilidades trazidas por esse planeta podem ser bem difíceis com seus excessos. Muitas vezes também, Júpiter está em um aspecto harmônico com um astro que precisa enfrentar uma quadratura e/ou uma oposição para se expressar em nós, e então o otimismo e abertura jupiterianos podem trazer dificuldades e confusões se deixamos de lado o cuidado e a consciência que precisamos para vivenciar positivamente as nossas limitações. Então, vamos passear com Júpiter pelos astros para que se possa ter uma breve idéia sobre como entender esses desafios.

Júpiter em conjunção, quadratura e oposição ao Sol Natal
O Sol natal é o centro de nosso sistema e o Luminar que mostra o desenvolvimento de nossa essência. Qualquer aspecto de Júpiter com o Sol é, portanto, uma chance de ampliar nosso horizonte solar de modo a compreender melhor nossas necessidades mais profundas. Quando, porém, Júpiter em trânsito desafia nosso Sol, ficamos com muita vontade de cometer excessos e damos pouca importância para as conseqüências, forçando decisões que ainda não estão maduras. Júpiter em seus encontros com o Sol subestima os aprendizados da experiência concreta, e nos enche de inspiração e impaciência. É importante nessas épocas perceber que Júpiter dá um colorido filosófico e religioso para nossa vida, e, portanto, é um bom momento para resolver e ampliar nossa maneira de encarar a expressão de quem somos, mas não necessariamente para resolver nossos problemas concretos. É comum que tenhamos algumas frustrações desconcertantes e sensações de perdas injustas porque o otimismo e exagero jupiteriano não nos deixou ver o que estava realmente acontecendo. Ao se perceber vivenciando esse tipo de coisas, é importante dar uma refreada nessa energia toda para que ela não sirva apenas para se escapar de experiências mais duras, fazendo desses trânsitos um crescimento real, e não apenas uma distração das próprias limitações.

Júpiter em conjunção, quadratura e oposição à Lua Natal.
Na Lua natal encontramos nossas memórias afetivas, nossa auto-imagem idealizada, nossa capacidade de criar vínculos, ou seja, onde exercitamos a “arte de fazer amigos e influenciar pessoas”. Quando Júpiter no céu entra em contato com nossa Lua temos a sensação de que está na hora de superar os traumas que nos afastam das pessoas e buscamos novas saídas para antigos dilemas. Muitas de nossas dificuldades lunares estão conectadas com problemas na infância que trazem a sensação de abandono/rejeição/falta e que temos medo de repetir quando nos relacionamos. Júpiter mostra nossas necessidades de relacionamento e afeto de uma maneira que realmente intuímos que há algo de bom na superação de nossas limitações afetivas. Nem sempre isso vem de um jeito alegre e divertido - apesar de muitas vezes nos sentirmos bem fazendo festa com nossa “tchurma” -, já que esse planeta pode trazer uma consciência dolorosa das dificuldades de nos aproximar real e intimamente dos outros, se nossa Lua possui muitos conflitos natais. Como sempre, os problemas com Júpiter começam com otimismo exagerado e terminam com castelos de areia destruídos. Quando estamos lidando com a Lua é sempre bom deixar nosso “adulto” ligado para ver onde nossas emoções estão criando dramas muito carregados em nossa vida. Nos desafios que Júpiter traz para nossa Lua sempre podemos abandonar os velhos padrões de comportamento que não precisamos mais para nos defender, mas se nossa Lua tem muitos desafios de expressão, achar que todas as pessoas que cruzam nosso caminho são de confiança pode apenas asseverar nossas crenças errôneas.

Júpiter em conjunção, quadratura e oposição ao Mercúrio Natal.
Com nosso Mercúrio pensamos, aprendemos, pesquisamos, fazemos acordos e expressamos o que vai dentro de nós. Júpiter abre nossos canais de comunicação para o mundo, o que pode ser bem divertido ou muito confuso, dependendo da consciência dos aspectos natais com que temos que lidar em nosso Mercúrio. Com o costumeiro exagero e otimismo jupiteriano, nosso Mercúrio pode sair falando feito um tagarela se estiver muito aflito, o que não vai ajudar em nada nossas dificuldades de comunicação. Se você, porém, tem consciência de como age seu Mercúrio natal, esses períodos podem ser muito bons para conversar com pessoas importantes e para escrever artigos, pois ficamos cheios de idéias inspiradas e conseguimos convencer as pessoas de nossos pontos de vista com certa facilidade. Mas precisamos realmente tomar cuidado com o que e com quem falamos nessas épocas, pois Júpiter também deixa nosso Mercúrio com um bocão, e acabamos falando a pior coisa no momento mais inadequado, contando piadas em enterro ou nos divertindo com questões delicadas para outras pessoas. Se você ainda não possui o hábito de escrever para trabalhar os trânsitos sobre seu Mercúrio, essa é uma boa época, pois muitas idéias geniais acabam surgindo, e é bom guardá-las para momentos mais tranqüilos. Inclusive aquela piada picante e deliciosa sobre seu amigo, que será muito bem vinda em um momento privado, não fará nada bem à sua amizade se for dita em meio à festa para apresentar a família tradicional da noiva dele.

Júpiter em conjunção, quadratura e oposição à Vênus Natal.
Em nossa Vênus temos nossos valores estéticos e nossos parâmetros de prazer, e Júpiter irá inspirar nossa predisposição natural para o que sentimos como Belo, além de acentuar nosso desejo por conforto. E aí aquela roupa linda e caríssima que se vê na vitrine cai como uma luva em nós, e nos sentimos maravilhosos! Claro que junto aparece um dinheiro extra na sua conta, de um trabalho que você fez há muito tempo e só agora estão lhe pagando. Mas dê uma verificada na conta do seu cartão de crédito durante esse trânsito, para ao menos passar por esse período com certa consciência de que suas dívidas não vão desaparecer porque você se sente bem. Os relacionamentos amorosos costumam se abrir também nesses períodos, mas quando Júpiter desafia nossa Vênus podemos ter a tentação de trocar uma relação estável por medo de perder as 999 outras possibilidades no mercado. Como nossas dificuldades venusianas também são ativadas pelo trânsito de Júpiter, podemos ficar muito susceptíveis às frustrações amorosas e tentamos compensar isso buscando outros tipos de prazer imediato, comendo muito, fumando muito, ou simplesmente seduzindo qualquer coisa que apareça pelo caminho. Se você tem um relacionamento amoroso importante, é bom perceber sua tendência ao exagero e pegar mais leve com seu parceiro, e se está em busca de um novo amor, é bom pensar um pouco no dia seguinte durante esses trânsitos, lembrando que sapos continuam sapos apesar dos seus beijos e uma princesa adormecida pode ser uma bruxa quando acordada.

Júpiter em conjunção, quadratura e oposição ao Marte Natal.
Os trânsitos de Júpiter sobre o Marte precisam das mesmas atenções de quando Marte passa sobre nosso Júpiter, então cuidado com a conta bancária, com os destemores e as atitudes muito exageradas. Como nosso Marte mostra como agimos a nosso favor, Júpiter expande nosso campo de ação pessoal quando forma aspectos com nosso guerreiro. Geralmente ganhamos mais energia para conquistar espaço no trabalho e nas relações porque conseguimos nos expressar melhor e entender para onde queremos realmente ir. Mas quando o senhor do Olimpo desafia nosso guerreiro e temos que lidar com as nossas dificuldades nessa área, o exagero e a agressividade, que são as distorções mais comuns desses planetas, podem se juntar para criar muitos estragos quando temos que vivenciar frustrações nesses períodos. Uma das características dos trânsitos de Júpiter é uma boa dose de inspiração para o caminho que devemos seguir, e isso proporciona ao Marte uma possibilidade de direcionamento da energia instintiva que carrega. Mas se você observa que no seu agir marciano há uma tendência a riscos e acidentes, o que costuma acontecer com um Marte que recebe muitos aspectos natais desafiadores, é importante usar esse período para entender as dificuldades e limitações de expressão da sua vontade que estão sendo mal direcionadas, evitando rompimentos e frustrações por conta das distorções dessa força.

Júpiter em conjunção, quadratura e oposição ao Saturno Natal.
Os encontros entre Júpiter e Saturno, principalmente as conjunções, são apontados como sinal de “mudança de governo” por muitos textos astrológicos e alquímicos. Mitologicamente, é no confronto entre esses deuses, pai e filho, que saímos da Era de Ouro de Saturno e entramos na Era dos Deuses Olímpicos. Nosso Saturno natal mostra onde temos que levar a vida a sério, onde precisamos nos tornar adultos e criar uma estrutura interna sólida se não quisermos viver de frustrações e reclamando da vida. Esse planeta representa o Princípio da Realidade freudiano, e não se comove com as historias tristes que usamos algumas vezes para evitar as responsabilidades por nossa própria existência. As armas mais comuns que nosso Saturno tem para nos obrigar a isso são o medo e o desejo, pois queremos muito a excelência e a autoridade representada por esse planeta e ao mesmo tempo tememos não ser capazes de atingi-la. O trabalho duro que temos que enfrentar para transformar nosso Saturno em amigo ganha inspiração e conseguimos perceber muitos dos significados dessa labuta quando Júpiter entra em contato com essa área de nossa vida. Podemos perceber, então, o quanto crescemos e conquistamos, e podemos dispensar muitos dos medos saturninos e aceitar melhor as responsabilidades que nos cabem. É comum que esses períodos representem um aumento na carga de trabalho – em vários níveis – que nos mostra que somos capazes de dar conta do recado. Isso pode realmente significar uma “mudança de governo”, se você conseguir entender que a recompensa saturnina não vem de um reconhecimento externo, mas do acúmulo de experiências reais que temos com a vida. É assim que nos tornamos senhores de nós mesmos, e se incorporamos isso à nossa vida, Saturno não precisará mais usar seu instrumental de medo e frustração para criar nossa estrutura consciente.

Júpiter em conjunção, quadratura e oposição ao Urano Natal.
Nosso Urano traz a força da mudança ideológico de nossa geração, e, principalmente se temos algum astro pessoal se relacionando com esse planeta, é através dele que expressamos a ânsia humana por liberdade. Júpiter costuma inspirar nosso comportamento mais excêntrico quando se relaciona com o Urano natal, e ficamos com pouca paciência para com as regras sociais ou normas de segurança. Tudo bem se você resolver pintar o cabelo de verde, pois quando o trânsito passar você pode voltar a pintá-lo de uma cor mais tradicional, mas espere um pouco se decidir sair do emprego porque seu chefe não entende o quão criativo você é. Esse é um trânsito em que nos sentimos realmente sufocados pelas coisas que nos prendem e pode ser aproveitado para se sair de amarras que não fazem mais sentido, mudando de rumo para algo mais significativo. Mas faça isso com cuidado e não em um rompante de rebeldia, pois Júpiter pode ser um ótimo semeador de coisas novas, mas não tem a persistência necessária para cuidar daquilo que semeia, nos deixando com muitos problemas desnecessários depois que vai embora. Quando colocamos a culpa de nossos problemas em algo fora de nós estaremos tomando um atalho perigoso, então é bom avaliar internamente o porquê dessa sensação incômoda de prisão e ter coragem para ver a verdade sobre o que se está vivendo antes de romper o relacionamento ou ir morar em uma comunidade de iluminados.

Júpiter em conjunção, quadratura e oposição ao Netuno Natal.
Se Urano traz as ideologias de nossa geração, Netuno traz os sonhos e fantasias de redenção, o que pode ser vivenciado como um ponto cego em nossa vida pessoal, onde confundimos a realidade para criar espaço para a transcendência. Muitas vezes isso significa ter que sacrificar nossa vontade em nome de algo maior. Quando Júpiter amplia essa dimensão de nossa existência é preciso ter uma maneira não material de se lidar com tanta inspiração, seja através de meditação, de expressão artística, escrevendo os sonhos e fantasias, dançando e participando de rituais ou mesmo se comprometendo com algum tipo de trabalho voluntário. As grandes paixões e os grandes projetos que surgem nesses períodos de encontros entre Júpiter com nosso Netuno costumam ter um gosto de panacéia e é difícil focarmos a razão para entender que não existe algo que resolverá todos os nossos problemas e carências. Esses são períodos de abertura realmente muito ricos, mas é preciso manter as condições de sobrevivência de nosso ego quando lidamos com os planetas transaturninos, que governam os movimentos coletivos. Como disse certa vez Jung, se não podemos vencer um trânsito, podemos sobreviver a ele.

Júpiter em conjunção, quadratura e oposição ao Plutão Natal.
Se Urano e Netuno ainda dão trabalho para compreender a verdadeira dimensão em que atuam, Plutão, que entrou em nosso campo consciente a menos de 100 anos, ainda é um elemento fascinante de descobertas. Nele encontramos a Sombra coletiva e, principalmente quando envolvido com astros pessoais em nosso mapa natal, temos um desejo visceral de incorporar os aspectos menos “bonitinhos” da existência humana. Em termos geracionais, ele mostra, por signo, como foi preciso perder a inocência para sobreviver, onde aquela geração teve que entender que a linda flor do jardim só foi possível graças a muitos seres que morreram para servir de adubo àquela existência. Assim, o lugar onde está nosso Plutão natal não é o ponto mais relaxado e tranqüilo do mapa, principalmente se tem aspectos com alguma expressão pessoal. Não vejo muitas diferenças entre aspectos harmônicos ou desarmônicos quando lido com o senhor do Hades, e essa costuma ser uma área da vida em que acumulamos muitas paranóias e feridas de infância, e por isso somos naturalmente desconfiados e controlados. Júpiter entra em contato com essa área de nossas vidas trazendo Luz, o que não é necessariamente algo bonito de se ver, mas com certeza o otimismo olímpico desse planeta ajuda a olhar o porão onde escondemos as coisas que temos dificuldades de vivenciar conscientemente. Plutão é uma porta de saída para nosso inconsciente pessoal, e Júpiter costuma facilitar a saída de coisas escondidas, o que pode significar, muitas vezes, uma reação emocional muito forte a coisas aparentemente pequenas. Essa exposição de nossos segredos pode asseverar nossa paranóia, mas pode também ser a oportunidade para compreender realmente essas emoções mais pesadas que carregamos, trazendo um aprofundamento em nós mesmos que é transformador se conseguirmos agüentar o desconforto do processo. Plutão tem a posse de uma enorme quantidade de energia bloqueada pelo medo, e quando Júpiter em transito interage com seu irmão mais sombrio temos a oportunidade de entender melhor essa força armazenada em nossas dores. Através da dimensão filosófica jupiteriana se pode aprender a amar nossas faces rejeitadas e cheias raiva que tiveram que se esconder para sobreviver, e por vingança enchem de veneno nossa existência. Há momentos que me parece que toda a nossa existência pode se resumir na realização desse processo de transformação.

10 comentários:

marcelo dalla disse...

Excelente artigo! Obrigado pela Luz!!!

Teca Dias disse...

Que bom, Marcelo! Obrigada também pelo retorno. Sempre fico na dúvida se consegui realmente me fazer entender. Valeu!

Marcia Dib disse...

Teca, querida
E com quem tem um exagero de Jupiter no mapa? Socorro!
Castelos de areia por todos os lados...
Mas, como sempre digo e acredito, vai dar tudo certo!
Beijos, com saudades,
Marcia

Teca Dias disse...

Ah, Má, quando percebemos que Júpiter está exagerando demais, a gente sempre pode apelar para Saturno e Capricórnio, pois eles vão mostrar áreas em nossas vidas onde sempre temos uma vozinha perguntando "onde vc pensa que vai com toda esse energia?" O legal é quando a gente consegue unir o otimismo jupiteriano com a seriedade saturnina. Mas me parece que vc está nesse caminho, né? Muitas saudades, querida... Beijão

Ana Martin disse...

Teca Querida!

Gostaria de saber, e quanto Jupiter transita por Jupiter Natal na casa 2/3 no signo de virgem?! Tem algo relacionado a jogos ou apostas?!

Teca Dias disse...

Oi Ana
Vc fez essa ligação por conta da casa 2 estar associada a dinheiro? Porque a casa tradicionalmente ligada a jogos e apostas é a 5... Geralmente aparecem uns dinheiros extras quando Júpiter atravessa a casa 2, mas nada que irá mudar a sua vida; em geral algo que vc gasta em alguns minutos no shopping mais próximo. Mas é um bom momento para rever valores, expandindo sua percepção daquilo que é valioso em sua vida. Isso sim pode te trazer algum ganho e novos jogos, metaforicamente falando... Aproveita!!

Ana Martin disse...

Brigadão Teca! Realmente! Você é demais nisso!
Mas o transito aqui é Jupiter transitando em conjunção com jupiter natal na casa 2. Não consigo ler nada relacionado a isso, se é um período de sorte real, ou se é algo mais superficial. Você saberia me dizer?

Teca Dias disse...

Entao vc esta vivendo um retorno de Júpiter, Ana, ou seja um reforço e uma retomada naquilo que vc eh e dos valores que pratica. Se eh um período de sorte ou de desperdício vai depender de como vc usa seu dinheiro. Eh um período de expansão sem duvida.

Anônimo disse...

teca eu tenvo venus em oposição a jupiter no meu mapa , me diga o que isso me acareta de ruim.

Teca Dias disse...

Puxa, Anônimo, não necessariamente isso vai ter algo de ruim. Falar de bom e ruim em astrologia é bem complicado, pois sempre há malas que vão pra Belém. Qualquer aspecto com Júpiter, principalmente os tensos, como é o caso da quadratura e da oposição, o risco sempre é o exagero, e se tratando de Vênus, os relacionamentos e o desejo de prazer podem te trazer problemas nesse sentido. Tipo vc encontrar em uma noite a pessoa mais maravilhosa do mundo que é sua alma gêmea, em uma semana vcs estão morando juntos e quando a convivência e o cotidiano se instalam vc não tem ideia do porque achou aquele ser horroroso tão maravilhoso. Tô fazendo uma caricatura pra vc sentir a questão. Se a gente quiser olhar um pouco mais profundamente o que temos em aspectos de oposição é um aprendizado onde a gente se identifica com um lado da oposição e encontra alguém que receba a projeção do outro lado. Assim, se vc se identifica bastante com sua Vênus, por exemplo, vai buscar um relacionamento com alguém jupiteriano, que vai desde algo bem claro, como encontrar um(a) sagitarian@ de sol, lua e/ou ascendente, ou alguém que tenha a ver com o seu signo jupiteriano, por exemplo. Isso pode funcionar por um tempo mas sempre chega a hora em que vc tem que pegar aquilo que projetou e desenvolver em si. Em uma boa parceria, @ outr@ pode te ajudar nisso, mas às vezes a gente aprende na separação, quando sente falta daquilo que o outro dava e por isso somos obrigados a desenvolver aquelas características. E aí é trabalho de auto desenvolvimento, que sempre dá trabalho e nem sempre é agradável. Mas isso é ótimo, não é? O ruim é que para se desenvolver a gente tem que sair da zona de conforto, né Anônimo?..